Recomendações gerais para práticas veterinárias durante o surto do COVID-19
Juan Blancas
/ Categorias: Ferox

Recomendações gerais para práticas veterinárias durante o surto do COVID-19

Muitos países estão adotando medidas muito rigorosas, desde proibições de viagens a bloqueios totais de países. É importante lembrar que os serviços veterinários devem ser considerados negócios essenciais. Os veterinários e suas equipes fornecem importante vigilância de doenças de saúde pública e animal para prevenir surtos, incluindo doenças zoonóticas.

 

Durante esta crise, algumas práticas veterinárias adiarão alguns procedimentos não urgentes. É necessário adaptar as práticas para garantir um nível adequado de biossegurança, usar equipamentos de proteção individual e distanciamento social que salvaguardem a saúde de nossos pacientes animais e de seus tutores.


Caso você opte por manter sua clínica em operação,  é recomendável minimizar qualquer interação humano-humano, realizar a entrega dos animais de estimação fora da clínica (na calçada, por exemplo), para evitar que os tutores não entrem nas instalações.

 

Priorize os pacientes que precisam ser vistos com urgência sobre aqueles que precisam apenas de cuidados de rotina ou cirurgia que possam ser adiados.

 

Utilize plataformas de Televeterinária para os diagnósticos como risco anestésico ou estudos radiológicos e faça a triagem, ou tratamento do maior número possível de casos usando WhastApp, Skype, apenas para um tutor/paciente que você já viu pessoalmente em uma consulta prévia. 

 

Se o tutor do animal de estimação tiver febre, tosse, dor de garganta ou possível exposição ao COVID-19, providencie para que outra pessoa leve o paciente doente à clínica ou use a telemedicina para uma avaliação do animal de estimação. 

 

Recomendações gerais 

  • Mantenha as superfícies comuns frequentemente higienizadas.
  • Incentive a higiene da equipe (lavagem frequente das mãos).
  • Proibir que funcionários doentes ou febris trabalhem em sua clínica. Os funcionários com sintomas de COVID-19 devem ficar em quarentena e não podem trabalhar por 14 dias.
  • Da mesma forma, se um membro da equipe viajou para uma área com ampla transmissão, consulte o departamento de saúde local sobre quaisquer restrições sobre a pessoa que voltar ao trabalho.
  • Recomenda-se que as pessoas infectadas com COVID-19 evitem o contato com seus animais de estimação, incluindo acariciar, aconchegar, beijar ou lamber e compartilhar alimentos. Outra pessoa na casa deve alimentar e cuidar do animal. Se a pessoa doente precisar prestar os cuidados, lave as mãos antes e depois de interagir com o animal e use uma máscara facial.
  • Como lembrete, no momento, os EUA Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) dizem que não há evidências de que animais de companhia, incluindo animais de estimação, possam espalhar o COVID-19. No entanto, como em qualquer doença, é sempre bom lavar as mãos depois de estar perto dos animais.

 

A operação da clínica exige que sua equipe trabalhe para cuidar dos animais, o que potencialmente aumenta o risco de exposição ao vírus.

 

Esta lista de recomendações foi compilada pela Dra. Ashley Mitek a partir de informações fornecidas pela Associação Médica Veterinária do Estado de Illinois, pelo Departamento de Saúde Pública e Departamento de Agricultura de Illinois e pelo Dr. Jim Lowe da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de Illinois.

 

Lembrando que é muito importante que a equipe veterinária permaneça protegida através de rigorosos protocolos de higiene e desinfecção, equipamentos de proteção, regras de distanciamento social.

 

 

Fonte: https://vetmed.illinois.edu | https://www.fve.org/

Print
441 Rate this article:
5.0

Please login or register to post comments.

x
Loading
  • Assine Nosso Blog

    Fique por dentro das novidades. Receba nossas atualizações.